Por muito tempo, o departamento fiscal das empresas era visto tão somente como a área de emissão de notas fiscais, registros e elaboração de guias. Porém, o cenário hoje é totalmente diferente.

Nesse novo momento que estamos vivendo, a área fiscal passa a ter um papel muito estratégico, sendo muito importante para se destacar dentro da companhia que o profissional exerça com excelência atividades como:

  • Acompanhamento constante da legislação tributária;
  • Reflexos e impactos nas alterações da empresa;
  • Análise e certificação das operações da empresa;
  • Cruzamento de informações – certificação das informações fiscais;
  • Mitigação de riscos e prevenção a autuações fiscais;
  • Análise impacto do custo tributário na atividade da empresa;
  • Consultoria (provedor de informações);
  • Planejamento Tributário (alternativas para minimizar o custo tributário, otimização de recursos).

Em um cenário de constantes mudanças na legislação e de um volume elevado de obrigações acessórias complexas, o profissional da área fiscal deve, a nosso ver, ter 5 habilidades fundamentais. Quais sejam:

  1. Ter uma boa comunicação (entender, interpretar e escrever bem)
  2. Elaborar um bom fechamento (ser habilidoso com números para fazer cruzamento de informações)
  3. Ter comprometimento e responsabilidade com os prazos e com o time
  4. Ser produtivo
  5. Dominar os sistemas, plataformas e softwares utilizados nas rotinas fiscais (conhecer de tecnologia)

Apesar de ainda importantes, os pré-requisitos para uma vaga na área fiscal relativos à formação acadêmica, hoje em dia, não são tão determinantes quanto eram no passado.

Algumas posições inclusive já não exigem faculdade e talvez esta seja uma tendência que também alcançará o departamento fiscal. Fato é que o desempenho do profissional não está atrelado mais à sua formação.

Nesse cenário, o profissional deve estar sempre se “reciclando”, especialmente aos seus processos e habilidades. Um bom fechamento mensal, por exemplo, tem relação com um bom lançamento fiscal. E, nesse caso, o check-list abaixo poderá ajudar na otimização do tempo e na qualidade do trabalho. Confira-se:

  • Certificar-se que todas as entradas estão devidamente escrituradas;
  • Certificar-se que todas as notas de entrada foram dadas ciência da operação;
  • Certificar-se que todas as manifestações foram realizadas, pois existem estados que obrigam para determinados valores e itens;
  • Certificar-se que todas as notas fiscais de serviço já estão escrituradas no sistema.

O departamento fiscal é normalmente taxado como “retaguarda da empresa”, mas há muito tenho notado que estamos mais na “frente do negócio” do que se imagina. A política de tributos é determinante para a lucratividade das empresas. Neste sentido, o profissional fiscal e tributário deve ser um parceiro do negócio. O perfil que apenas cumpre obrigações acessórias e se mantem apenas na retaguarda sem ter a capacidade de se relacionar bem não mais atende às necessidades desse novo mundo que vivemos.

Em caso de dúvidas, envie uma mensagem para contato@taxcel.com.br


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This