DIRPF 2018: não se esqueça de declarar seus rendimentos!

Você, que sempre se preocupa com a gestão fiscal da sua empresa, não se esqueça do prazo para enviar sua própria declaração de Imposto de Renda! Para te ajudar, preparamos um artigo com todas as novidades da declaração do IR 2018.

Continue a leitura do post e fique por dentro do assunto!

Software “Meu Imposto de Renda”

A primeira grande mudança da declaração do IR 2018 será no programa de computador utilizado para realizar o procedimento. No passado, o contribuinte tinha que baixar dois programas distintos: um para elaborar a declaração e outro para enviá-la aos servidores da Receita Federal do Brasil.

A partir deste ano, porém, os dois serão unificados, dando origem ao software chamado “Meu Imposto de Renda”, que também permitirá que o contribuinte faça declarações retificadoras. Há versões disponíveis para smartphones (iOS e Android), tablets (iOS e Android) e computadores (Windows, Mac e Linux).

Prazo de entrega

Outra mudança diz respeito ao prazo para a entrega da declaração de Imposto de Renda, que no ano passado caiu no dia 28 de abril. Neste ano de 2018 o prazo é dia 30 de abril.

Informações sobre dependentes

A partir de 2018 a obrigatoriedade de inclusão do número do CPF de dependentes cai de 12 para 8 anos. Como a declaração diz respeito ao ano-base de 2017, a regra vale para todos os dependentes que completaram 8 anos até 31 de dezembro de 2017. É importante observar que a partir de 2019 a obrigação passa a valer para os dependentes de todas as idades.

Declaração de bens

A aba correspondente à declaração de bens está passando por uma reformulação geral. Diversos campos serão adicionados em 2018, mas o preenchimento só será obrigatório em 2019. É altamente recomendável que o contribuinte já declare essas informações logo em 2018 como planejamento. Assim, ele poderá somente importar os dados na declaração do ano que vem.

No caso dos imóveis, por exemplo, o contribuinte terá que declarar a data da aquisição, o registro junto ao cartório competente e a área total. No caso dos automóveis, o número do RENAVAM também será obrigatório.

Recuperação de nomes

A partir da versão 2018, o software da Receita terá uma função de recuperação de nomes. Funciona assim: quando o contribuinte digita o número do seu CPF ou CNPJ, o sistema já completa o formulário automaticamente com as suas informações pessoais.

As informações são obtidas a partir de declarações anteriores ou outros campos já preenchidos dentro da mesma declaração. Vale lembrar, por fim, que essa funcionalidade pode ser desativada no menu do programa.

Painel inicial

A nova versão do programa da receita também trouxe uma ferramenta que o ajudou a ficar bem mais intuitivo e organizado: um painel inicial. A partir desse painel inicial o contribuinte pode navegar pelas diversas abas e fichas a serem preenchidas, o que ajuda a otimizar a gestão tributária do contribuinte.

Emissão do DARF

Por fim, uma grande novidade na Declaração do IR 2018 é a possibilidade de já imprimir o DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) caso o contribuinte esteja em débito com o fisco. Mesmo se o lançamento for antigo, o novo sistema é capaz de calcular os juros com base na taxa Selic.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre a Declaração do IR 2018? Então assine a nossa newsletter e tenha acesso a outros conteúdos como este diretamente na sua caixa de e-mails!

Comments (1)

  1. Muito bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This