Malha Fiscal Jurídica – Principais Cruzamentos

3 minutos para ler

Inicialmente, é fundamental compreender a abrangência das iniciativas de compliance dentro das empresas, ou seja, em quais setores e atividades esse conceito se faz mais presente, promovendo melhorias e gerando oportunidades de otimização. Confira-se:

-Gestão de processos

-Gestão de riscos

-Gestão tributária

A importância da contabilidade para o compliance é significativa. Hoje, grande parte dos problemas enfrentados pelas empresas no que diz respeito à sua regularidade estão relacionados a rotinas contábeis e fiscais.

Por essa razão, reforçar a qualidade desse departamento é também fortalecer o compliance. A falta de rigidez no cumprimento das obrigações ou mesmo a ausência de um conhecimento profundo sobre as normas e leis que regulam as operações empresariais são fatores que potencializam a ocorrência de erros, prejudicando diretamente as finanças e a percepção em relação à marca.

Atualmente, a “malha fiscal” do fisco ficou ainda mais rigorosa, através do SPED, intensificando as auditorias nas empresas, desde a emissão das notas fiscais, até conferências das escriturações fiscais, passando pela análise de estoques e concluindo com a análise das escriturações contábeis.

A questão que fica é: você sabe que tipo de informação do seu cliente está sendo enviada ao fisco? Diante dessa realidade e da gama de dados gerados pelas empresas, em decorrência da complexidade das obrigações fiscais e tributárias, se faz necessário a realização de auditorias digitais como ferramenta de gestão.

E quais são os benefícios deste tipo de auditoria?

  • Confiabilidade: A análise dos documentos é realizada de forma digital.
  • Projetar o futuro: Com as análises sendo mais ágeis, é possível realizar os acertos necessários em menor tempo, bem como antecipar as ações preventivas.
  • Abrangência: Podemos trabalhar com um montante e não mais apenas por amostragem.
  • Prevenção Fiscal: A auditoria digital, poderá auxiliar a gestão fiscal, mitigando os riscos atribuídos a uma má classificação.

Os principais cruzamentos que você pode efetuar na geração e transmissão do SPED FISCAL:

⠀EFD ICMS/IPI x ECD:

Verifica valores de receitas de fabricação, receitas de exportação, estoque final, ICMS, IPI, dentre outros.

⠀EFD ICMS/IPI x ECF:

Confere valores de receitas de fabricação, receitas de revenda, de exportação, valores de ICMS, dentre outros.

⠀EFD ICMS/IPI x EFD Contribuições:

Apura documentos não localizados, documentos divergentes, itens divergentes.

⠀EFD ICMS/IPI x DCTF:

Compara os valores de IPI entre estas duas declarações.

EFD ICMS/IPI x NF-e / NFC-e/ CT-e/ CF-e:

Pesquisa se faltou escriturar algum documento fiscal e se existem valores divergentes entre os documentos e a escrituração.

É fundamental que seja feito cruzamentos entre XML x Arquivo gerado, principalmente por conta de omissões de documentos fiscais. Todos os dias os contribuintes estão sendo fiscalizados, desde a emissão do documento fiscal via XML até a entrega no dia do arquivo digital pelo PVA.

Portanto, as auditorias devem ser constantes entre os arquivos elaborados e a utilização de ferramentas digitais. Ao final, você verá que isso ajudará na organização e eficiência do seu trabalho. A Taxcel, possui uma ferramenta incrível que pode te ajudar nesse cruzamento e validação das suas classificações fiscais, por meio de um editor de TXT do SPED para Excel.

Em caso de dúvidas, envie uma mensagem para contato@taxcel.com.br

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Share This